Alagoa Grande: homem é preso acusado de atrasar pensão alimentícia

O período da prisão é de 60 dias, podendo ser revogada mediante o pagamento dos três meses em atraso quando do início da ação até a data de hoje.

fevereiro 5, 2019
72 Visualizações

Um homem foi preso acusado de atrasar o pagamento da pensão alimentícia em Alagoa Grande. A prisão aconteceu nesta segunda-feira (4), quando uma guarnição da 2ª Companhia do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) realizava rondas pelo centro da cidade e abordaram o homem.

Ao consultar o nome no Banco Nacional de Mandados de Prisão, verificou que havia um mandado expedido contra o homem pela 3ª Vara Mista de Guarabira.

O acusado foi conduzido até à Delegacia de Polícia Civil.

O período da prisão é de 60 dias, podendo ser revogada mediante o pagamento dos três meses em atraso quando do início da ação até a data de hoje. O documento expedido pela Justiça também determina que ele fique detido em cela separada dos demais presos.

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Polícia prende dupla que furtava argolas de túmulos em cemitério de Belém
Policial
0 shares30 views
Policial
0 shares30 views

Polícia prende dupla que furtava argolas de túmulos em cemitério de Belém

Jota Alves - abr 22, 2019

As pessoas que receptaram os objetos do furto também serão chamadas à delegacia para prestar esclarecimentos

Câmara de Guarabira vai discutir situação de animais soltos nas ruas
Notícias
0 shares14 views
Notícias
0 shares14 views

Câmara de Guarabira vai discutir situação de animais soltos nas ruas

Jota Alves - abr 22, 2019

Júnior lembra que em Guarabira existe a ONG Opan, que cuida dos animais, que a partir de sua iniciativa foi tornada de utilidade pública

Governo aceita alterar quatro pontos da reforma da Previdência
Política
0 shares26 views
Política
0 shares26 views

Governo aceita alterar quatro pontos da reforma da Previdência

Jota Alves - abr 22, 2019

Na avaliação de assessores do ministro Paulo Guedes (Economia), os trechos oferecidos para a tesoura do Centrão não afetam a potência fiscal da reforma