Artilheiro, Henrique Dourado decide e Fluminense vence Atlético-MG

Henrique Dourado é o atual camisa 9 do Fluminense e a torcida tricolor não poderia estar mais satisfeita. Nesta segunda-feira, diante do Atlético-MG de Fred e Rafael Moura, o Ceifador fez a diferença no Maracanã ao marcar os dois gols da vitória por 2 a 1. Valdívia, que entrou na etapa final, fez o gol do Galo.

Com o triunfo, o time de Abel Braga chegou aos 30 pontos e colou no G-6 – o Cruzeiro é o sexto com a mesma pontuação, mas vence nos critérios de desempate. O Galo, por sua vez, segue na parte debaixo da tabela com 26.

O JOGO

O primeiro tempo foi aberto, com o Fluminense bombardeando o gol rival e dando espaço para o Atlético-MG contra-atacar. Logo ficou claro que o lado direito era o caminho para o time de Abel. Como Cazares não o acompanhava, Lucas teve liberdade para avançar e a aproveitou. Léo, marcado por Luan, não teve vida tão fácil do outro lado, mas também chegou à linha de fundo.

As principais chances do Tricolor passaram pelos pés de Lucas e Gustavo Scarpa. O camisa 10, apesar de alguns vacilos, deu três finalizações perigosas, mas parou em Victor. O goleiro do Galo foi o principal responsável pelo 0 a 0 persistir no placar. Pelo menos até os 37 minutos.

Em um dos oito escanteios cobrados pelo Flu na primeira etapa, Scarpa colocou a bola na segunda trave para Henrique Dourado fazer 1 a 0. Foi só estar atrás do placar que o Galo acordou, criando três chances – as melhores até então -, mas Júlio César fez sua parte em chute de Cazares e cabeçada de Elias. Antes do intervalo, Luan ainda chutou com perigo, mas a bola saiu rente à trave.

Com Valdívia no lugar do discreto Roger Bernardo, Micale melhorou o time para a etapa final. O Tricolor, que dominava as ações, passou a ser dominado e Júlio César não teve o que fazer quando o meia tabelou com Cazares e bateu com categoria, da entrada da área, para empatar. O gol foi bonito, mas Wendel não acompanhou Valdívia e Cazares passou como quis por R. Chaves no lance.

Nos minutos seguintes, o Galo ocupou o campo de ataque e ensaiou uma pressão, mas a zaga do Flu foi bem pelo alto. A melhor chance veio em chute de fora, outra vez de Valdívia, mas Júlio César se esticou todo e evitou que a bola entrasse no ângulo. Seria outro golaço do meia-atacante do Atlético-MG.

A entrada de Fred no Galo – no lugar de outro ex-Flu, Rafael Moura -incendiou a torcida tricolor, que xingou o ex-ídolo antes de cantar o nome de Henrique Dourado. Em campo, o atual camisa 9 retribuiu ao marcar o gol da vitória aos 42 minutos. De quebra, assumiu a artilharia isolada do Brasileiro com 12 gols.