Deputados apoiados por Toscano e Paulino votaram pelo golpe

abril 18, 2016
258 Visualizações
12 Comments
Veneziano, Nilda e Pedro Cunha Lima conversam

Veneziano, Nilda e Pedro Cunha Lima conversam

 

Os deputados federais Pedro Cunha Lima e Veneziano Vital do Rego, apoiados respectivamente pelas famílias Toscano e Paulino, votaram pelo prosseguimento do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, em sessão realizada neste domingo (17).

Com os votos de Pedro e Vené e de outros que também optaram pelo golpe, o processo vai segue para o Senado.

Dilma tem repetido que os partidos de oposição ao seu governo, incluindo PSDB e PMDB, tramaram o golpe para interromper os programas sociais como o Bolsa Família, Minha Casa, Minha Vida e outros desenvolvidos pela gestão petista.

Na Paraíba são milhares de pessoas beneficiadas com os programas do governo federal e se Temer assumir o comando administrativo do Brasil, como tudo leva a isso, e o Bolsa Família acabar será muito ruim para quem depende da renda para sobreviver.

 

Veja os votos dos deputados

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Município de Mari, através do CRAS, realiza curso de confeccionador de bijuteria
Notícias
0 shares26 views
Notícias
0 shares26 views

Município de Mari, através do CRAS, realiza curso de confeccionador de bijuteria

Jota Alves - jul 26, 2017

O curso de confeccionador de bijuteria reforça o compromisso da Gestão Municipal em contribuir para a qualificação profissional

Pagamento do mês de julho dos servidores estaduais tem datas definidas
Notícias
0 shares331 views
Notícias
0 shares331 views

Pagamento do mês de julho dos servidores estaduais tem datas definidas

Jota Alves - jul 26, 2017

“Continuamos a pagar dentro do mês trabalhado desde o início”, destacou Ricardo na publicação

Prefeita de Serra da Raiz é condenada a 4 anos de prisão por crime de responsabilidade
Política
0 shares194 views
Política
0 shares194 views

Prefeita de Serra da Raiz é condenada a 4 anos de prisão por crime de responsabilidade

Jota Alves - jul 26, 2017

No mérito, o relator disse que a ré não comprovou, documentalmente, a sua inocência quanto à legalidade de pagamentos de despesas com dinheiro público no valor de R$ 43,7 mil

12 Responses

Leave a Comment

Your email address will not be published.