Em Pirpirituba, homem é morto a facadas pelas costas e PM crê em latrocínio

novembro 21, 2016
1540 Visualizações

corpo

Um cadáver foi encontrado por populares no final da manhã desta segunda-feira (21), por volta das 11h30min na saída da cidade de Guarabira/PB para Pirpirituba/PB.

O corpo está sendo identificado como sendo do senhor Inaldo Vianna, de 51 anos. Segundo vizinhos da vítima, Inaldo sofria de problemas mentais, mas não tinha nenhuma inimizade. O corpo apresentava sinais de violência, aparentemente com perfurações de faca nas costas. Somente após a perícia é que poderá ser constatada a causa da morte.

De acordo com informações colhidas no local, foi levado da residência da vítima uma espingarda, fato que ainda está sendo apurado pela polícia, a qual não descarta a possibilidade de um latrocínio.

A Polícia Militar esteve presente no local para fazer o isolamento até a chegada da perícia.

Fonte: Portal Mídia

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Hospital Regional de Guarabira comemora o milésimo parto em 100 dias
Notícias
0 shares9 views
Notícias
0 shares9 views

Hospital Regional de Guarabira comemora o milésimo parto em 100 dias

Jota Alves - abr 19, 2019

A maternidade do HRG é uma referência na região, atendendo 25 cidades do Brejo e agreste paraibano

Mari: prefeito Antônio Gomes distribui 10 toneladas de peixes na Semana Santa
Notícias
0 shares23 views
Notícias
0 shares23 views

Mari: prefeito Antônio Gomes distribui 10 toneladas de peixes na Semana Santa

Jota Alves - abr 19, 2019

O prefeito falou da alegria de estar junto da comunidade, em mais um ano da Semana Santa, e poder oferecer condições para que a população possa participar dos festejos religiosos

Ministro do STF, Alexandre de Moraes recua e revoga censura a sites
Notícias
0 shares16 views
Notícias
0 shares16 views

Ministro do STF, Alexandre de Moraes recua e revoga censura a sites

Jota Alves - abr 19, 2019

Em mensagem divulgada nesta quinta-feira, o ministro Celso de Mello chamou a censura de intolerável e disse que é uma perversão da ética do direito

Leave a Comment

Your email address will not be published.