Funcionários dos Correios de Guarabira aderem à greve

A greve dos Correios iniciada na última terça-feira (19) atingiu 20 estados além do Distrito Federal

setembro 21, 2017
898 Visualizações

A greve dos Correios iniciada na última terça-feira (19) atingiu 20 estados além do Distrito Federal, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect).

Na cidade de Guarabira um grupo de funcionários fechou o acesso à agência com um tenda de diversos cartazes com a frase “Correios em Greve”. Segundo o Luciano Félix, alguns motivos fizeram com que a categoria tomasse a decisão: fechamento do Banco Postal, falta de concurso desde 2011, atraso nas entregas das encomendas e plano de demissão dos vigilantes.

De acordo com o diretor do Sintect-PB, Emanuel de Sousa, durante o período de greve, os serviços de postagem e entrega de correspondências e encomendas vão ficar suspensos. As agências vão funcionar em atividade interna, sem atendimento ao público.

Fonte: Nordeste1: Pedro Jr

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Hospital Regional de Guarabira comemora o milésimo parto em 100 dias
Notícias
0 shares11 views
Notícias
0 shares11 views

Hospital Regional de Guarabira comemora o milésimo parto em 100 dias

Jota Alves - abr 19, 2019

A maternidade do HRG é uma referência na região, atendendo 25 cidades do Brejo e agreste paraibano

Mari: prefeito Antônio Gomes distribui 10 toneladas de peixes na Semana Santa
Notícias
0 shares23 views
Notícias
0 shares23 views

Mari: prefeito Antônio Gomes distribui 10 toneladas de peixes na Semana Santa

Jota Alves - abr 19, 2019

O prefeito falou da alegria de estar junto da comunidade, em mais um ano da Semana Santa, e poder oferecer condições para que a população possa participar dos festejos religiosos

Ministro do STF, Alexandre de Moraes recua e revoga censura a sites
Notícias
0 shares16 views
Notícias
0 shares16 views

Ministro do STF, Alexandre de Moraes recua e revoga censura a sites

Jota Alves - abr 19, 2019

Em mensagem divulgada nesta quinta-feira, o ministro Celso de Mello chamou a censura de intolerável e disse que é uma perversão da ética do direito