Homem da cidade de Mari, que estava desaparecido, é encontrado enterrado em Mulungu

O cadáver foi identificado como Antoniel Correia dos Santos, 33 anos de idade

fevereiro 5, 2019
91 Visualizações

O corpo de um homem de 33 anos de idade foi encontrado enterrado ás margens do Rio Mamanguape, em Mulungu, há 28,3 km de Guarabira, Agreste paraibano. O cadáver foi localizado pelo sargento Jocel, que utilizou uma inchada e cavou cuidadosamente o local.

De acordo com a Polícia, as pernas do cadáver foram identificadas por familiares durante a escavação. A localização foi informada ao delegado plantonista que solicitou o apoio do Instituto de Polícia Cientifica (IPC). O corpo foi removido e levado para a sede do órgão em Guarabira.

O cadáver foi identificado como Antoniel Correia dos Santos, 33 anos de idade, conhecido por Lulinha, natural de Mari. Segundo a Polícia, Antoniel estava desaparecido há alguns dias, sendo procurado por familiares, amigos e autoridades.

Fonte: Blog do Galdino

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Araruna: polícia desarticula quadrilha que estava montando ponto de drogas; 3 são de Guarabira
Policial
0 shares29 views
Policial
0 shares29 views

Araruna: polícia desarticula quadrilha que estava montando ponto de drogas; 3 são de Guarabira

Jota Alves - fev 15, 2019

Os suspeitos foram presos em uma casa que fica no final de uma vila, na Rua da Areia, centro de Araruna

CPCon divulga resultado preliminar do concurso público da Prefeitura de Pilõezinhos
Notícias
0 shares26 views
Notícias
0 shares26 views

CPCon divulga resultado preliminar do concurso público da Prefeitura de Pilõezinhos

Jota Alves - fev 15, 2019

No toral foram oferecidas 73 vagas para preenchimento de diversos cargos que comporão o quadro de servidores efetivos

Veneziano critica PPP aprovada pela base de Romero Rodrigues que pretende privatizar a Cagepa
Política
0 shares13 views
Política
0 shares13 views

Veneziano critica PPP aprovada pela base de Romero Rodrigues que pretende privatizar a Cagepa

Jota Alves - fev 14, 2019

Veneziano lembrou que Campina, nos anos 2000, perdeu a sua Companhia de Eletricidade, a Celb, num processo de venda em que ainda hoje a prefeitura é cobrada