Jornalista da Record é condenado a indenizar ministro Gilmar Mendes

Segundo a colunista Mônica Bergamo, do jornal “Folha de S. Paulo”, o jornalista ainda pode recorrer da decisão

janeiro 10, 2019
82 Visualizações

O apresentador da TV Record, Paulo Henrique Amorim, foi condenado a reconhecer que ele ofendeu, em seu blog, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, do jornal “Folha de S. Paulo”, o jornalista ainda pode recorrer da decisão que foi tomada pelo ministro Antônio Carlos Ferreira, do Superior Tribunal de Justiça.

Gilmar Mendes moveu a ação em 2014, alegando que Amorim o associou ao exército nazista e o retratou como portador de alguma forma de demência.

De acordo com o jornal, o apresentador da Record também foi condenado a pagar uma indenização de R$ 40 mil a Gilmar.

Da Folha de São Paulo

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Chove em Guarabira e acumulado soma 32mm nas últimas 24h
Notícias
0 shares29 views
Notícias
0 shares29 views

Chove em Guarabira e acumulado soma 32mm nas últimas 24h

Jota Alves - jun 13, 2019

Embora tenha caído um volume considerável de chuva, mas em razão de não ser tão intensa e forte, não foi suficiente para acumular água em locais que historicamente ocorrem inundações

Em Guarabira, marginal é preso pela ROTAM com moto, dinheiro, drogas e celulares
Policial
0 shares36 views
Policial
0 shares36 views

Em Guarabira, marginal é preso pela ROTAM com moto, dinheiro, drogas e celulares

Jota Alves - jun 13, 2019

O suspeito fugiu pulando muro dos quintas das residências. Uma arma, drogas e celulares foram aprendidos por policiais da Rotam do 4° BPM.

Marcelo Bandeira denuncia sucateamento das estradas da zona rural em Guarabira
Política
0 shares72 views
Política
0 shares72 views

Marcelo Bandeira denuncia sucateamento das estradas da zona rural em Guarabira

Jota Alves - jun 12, 2019

O presidente da Câmara Municipal citou localidades como Maciel, Tananduba, Pirpiri, Escrivão, Catolé, dentre outras, onde as estradas estão em situação de precariedade