Justiça ordena que presa trans seja transferida para presídio feminino

O ministro reconheceu não haver espaço específico para abrigar a presa, identificada como Dagmar, em ambiente compatível com sua identidade de gênero

março 14, 2019
31 Visualizações

O ministro Rogério Schietti, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinou nessa quarta-feira (13) a transferência de uma detenta transexual para a ala feminina de um presídio no Rio Grande do Sul, condizente com sua identidade de gênero. A decisão é inédita no tribunal superior.

O pedido havia sido negado duas vezes pela justiça gaúcha, mas foi revertida pelo ministro do STJ após a defesa alegar tratar-se de “indivíduo extremamente vulnerável, o qual está sendo submetido, ao ser mantido junto ao alojamento masculino, a evidente violência psíquica, moral, física e, quiçá, sexual”.

“A paciente está submetida, por falta de espaço próprio, a permanecer no período noturno em alojamento ocupado por presos do sexo masculino, em ambiente, portanto, notória e absolutamente impróprio para quem se identifica e se comporta como transexual feminina”, concordou Schietti.

O ministro reconheceu não haver espaço específico para abrigar a presa, identificada como Dagmar, em ambiente compatível com sua identidade de gênero, mas ponderou ser preferível que ela seja colocada na ala feminina e “em nenhuma hipótese” na masculina, por ser ambiente “notória e absolutamente impróprio para quem se identifica e se comporta como transexual feminina”.

Ele acrescentou serem evidentes os riscos aos quais a presa trans está exposta, “dada a característica ainda patriarcal e preconceituosa de boa parte de nossa sociedade, agravada pela promiscuidade que caracteriza ambientes carcerários masculinos”.

Rogério Schietti citou o recente voto do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), em que ele se manifestou a favor da criminalização do comportamento homofóbico.

O ministro do STJ também suscitou uma resolução conjunta, de 2014, do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária e do Conselho Nacional de Combate à Discriminação, segundo a qual devem ser oferecidos espaços de vivência específicos às travestis e aos gays privados de liberdade.

No mês passado, o ministro Luís Roberto Barroso concedeu pedido semelhante feito por outras duas travestis, determinando que fossem transferidas para uma unidade prisional compatível com o gênero com o qual se identificam. Com informações da Agência Brasil.

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Cagepa suspende abastecimento de água em Campina Grande e mais nove cidades da Paraíba
Notícias
0 shares20 views
Notícias
0 shares20 views

Cagepa suspende abastecimento de água em Campina Grande e mais nove cidades da Paraíba

Jota Alves - mar 17, 2019

O órgão informou que técnicos estão trabalhando no local com o objetivo de restabelecer o funcionamento da estação de tratamento

Homem enfrentou assassino na Nova Zelândia e impediu mais mortes
Notícias
0 shares18 views
Notícias
0 shares18 views

Homem enfrentou assassino na Nova Zelândia e impediu mais mortes

Jota Alves - mar 17, 2019

Aziz, de 48 anos, está sendo saudado como um herói por evitar mais mortes na mesquita de Linwood, em Christchurch, na Nova Zelândia, depois de perseguir terrorista.

Prefeitura de Pilõezinhos lança Aluguel Social e entrega carros novos
Política
0 shares23 views
Política
0 shares23 views

Prefeitura de Pilõezinhos lança Aluguel Social e entrega carros novos

Jota Alves - mar 16, 2019

Para a prefeita Mônica esse lançamento é uma grande conquista da gestão e, principalmente, do povo que realmente precisa