Mototaxista é assassinado com disparos de arma de fogo em Guarabira

Viaturas das polícias Militar e Civil estão em diligências na tentativa de localizar e preder os suspeitos

setembro 26, 2018
3640 Visualizações

 

No começo da noite desta terça-feira (25), um mototaxista identificado por Pedro Bezerra da Silva, de 39 anos, o Pedrinho Mago, preso albergado, foi assassinado com pelo menos cinco disparos de arma de fogo. O crime aconteceu na estrada de acesso à fazenda Sapucaia e Escrivão, zona rural de Guarabira.

De acordo com informações de testemunhas, a vítima estava numa moto quando foi surpreendida por elementos armados, foi interceptado e executado. Os tiros atingiram rosto e nádegas.

Segundo apurou a reportagem do Portal, a vítima estava envolvida no assalto contra um estabelecimento comercial em Guarabira, o Atacadão Araújo, ocorrido recentemente.

Viaturas das polícias Militar e Civil estão em diligências na tentativa de localizar e preder os suspeitos. Ainda não há pistas.

 

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Araruna: polícia desarticula quadrilha que estava montando ponto de drogas; 3 são de Guarabira
Policial
0 shares33 views
Policial
0 shares33 views

Araruna: polícia desarticula quadrilha que estava montando ponto de drogas; 3 são de Guarabira

Jota Alves - fev 15, 2019

Os suspeitos foram presos em uma casa que fica no final de uma vila, na Rua da Areia, centro de Araruna

CPCon divulga resultado preliminar do concurso público da Prefeitura de Pilõezinhos
Notícias
0 shares27 views
Notícias
0 shares27 views

CPCon divulga resultado preliminar do concurso público da Prefeitura de Pilõezinhos

Jota Alves - fev 15, 2019

No toral foram oferecidas 73 vagas para preenchimento de diversos cargos que comporão o quadro de servidores efetivos

Veneziano critica PPP aprovada pela base de Romero Rodrigues que pretende privatizar a Cagepa
Política
0 shares13 views
Política
0 shares13 views

Veneziano critica PPP aprovada pela base de Romero Rodrigues que pretende privatizar a Cagepa

Jota Alves - fev 14, 2019

Veneziano lembrou que Campina, nos anos 2000, perdeu a sua Companhia de Eletricidade, a Celb, num processo de venda em que ainda hoje a prefeitura é cobrada