Na Paraíba, 68 municípios não registraram homicídios ano passado

Riachão do Bacamarte registrou menor indíce

Quase um terço dos municípios paraibanos não registrou homicídios no ano passado, segundo dados repassados nesta segunda-feira (11), pela Secretaria Estadual de Segurança e Defesa Social (Seds). São 68 cidades nessas condições, o que representa 30,4% do total. Em 28 delas, a situação é ainda mais pacata, pois não há ocorrências desde 2010. Por outro lado, apenas três municípios – João Pessoa, Campina Grande e Santa Rita – concentram 54% (832) dos 1.542 assassinatos de 2012.

Diferente dos grandes centros, Sossêgo, no Agreste paraibano, pode fazer jus ao nome que carrega. Segundo a Seds, houve apenas um registro em 2010. Desde então, mais nenhum. O prefeito da cidade, Carlos Antônio Alves da Silva (PSD), explica que muito dessa situação tem a ver com um trabalho preventivo feito através de uma rádio local, ouvida por boa parte dos seus cerca de 3 mil habitantes.

“A gente tem uma rádio onde aconselha o pessoal. A gente sabe que esses crimes estão mais relacionados à bebida, então, fazemos esse trabalho de conscientização. É muito difícil ter homicídio aqui. Acredito que teve um no Dia das Crianças (há mais de dois anos). De lá para cá, mais nada”, contou o prefeito.

Apesar da tranquilidade aparente, a situação em Sossêgo é relativa, porque, conforme aponta o prefeito Carlos Antônio, ainda acontecem roubos na cidade. “Tivemos um recentemente contra um posto de gasolina. Um rapaz de moto chegou, abordou o senhor e roubou cerca de R$ 400”, relatou.

Por outro lado, o problema está no fato de que a cidade, de acordo com o prefeito, nunca contou com um delegado próprio e não tem uma delegacia em funcionamento. “O delegado que a gente tem é de Barra de Santa Rosa, Cuité e Picuí. Mesmo assim, é muito difícil da gente encontrá-lo. Já tive contato com a Secretaria (Seds), fiz solicitação quando assumi, em 2009, mas nunca atenderam”, lamentou.

“Até de porta aberta se dorme”

Em Riachão do Bacamarte, município do Brejo paraibano com 4.264 habitantes, conforme dados do IBGE, a população dorme tranquila. Os moradores relataram que é comum as crianças brincarem nas ruas até às 22h, enquanto os adultos conversam nas calçadas. O último homicídio registrado na cidade aconteceu em 2011, quando um agricultor matou a própria irmã por conta de uma disputa de terras. Este ano, apenas um inquérito foi aberto na cidade, por embriaguez ao volante.

Conforme os dados de inquéritos policiais de Riachão, revelados pelo escrivão Humberto Maia, foram dois homicídios registrados entre 2009 e 2011, mas, ainda assim, envolvendo brigas familiares e disputas de terras.

 

Fonte: Portal Correio