Na Paraíba, delegado é baleado ao tentar evitar assalto

Silvio Bardasson tentou evitar que uma mulher fosse assaltada próximo a um restaurante e reagiu à abordagem criminosa

fevereiro 11, 2019
64 Visualizações

Um delegado a Polícia Civil, de 52 anos, ficou ferido ao trocar tiros com assaltantes na tarde desta segunda-feira (11) no bairro dos Bancários, em João Pessoa.

Silvio Bardasson tentou evitar que uma mulher fosse assaltada próximo a um restaurante e reagiu à abordagem criminosa. Surpreendidos, os bandidos revidaram e conseguiram atingir o policial na coxa direita e pé esquerdo.

Um dos suspeitos foi encontrado morto dentro de um matagal próximo a região. O outro, por enquanto, não foi localizado.

O policial civil foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena. Conforme boletim médico emitido pela unidade hospitalar, o delegado recebeu procedimentos de emergência e após período de observação recebeu alta.

Roberto Targino – MaisPB

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Hospital Regional de Guarabira comemora o milésimo parto em 100 dias
Notícias
0 shares31 views
Notícias
0 shares31 views

Hospital Regional de Guarabira comemora o milésimo parto em 100 dias

Jota Alves - abr 19, 2019

A maternidade do HRG é uma referência na região, atendendo 25 cidades do Brejo e agreste paraibano

Mari: prefeito Antônio Gomes distribui 10 toneladas de peixes na Semana Santa
Notícias
0 shares24 views
Notícias
0 shares24 views

Mari: prefeito Antônio Gomes distribui 10 toneladas de peixes na Semana Santa

Jota Alves - abr 19, 2019

O prefeito falou da alegria de estar junto da comunidade, em mais um ano da Semana Santa, e poder oferecer condições para que a população possa participar dos festejos religiosos

Ministro do STF, Alexandre de Moraes recua e revoga censura a sites
Notícias
0 shares17 views
Notícias
0 shares17 views

Ministro do STF, Alexandre de Moraes recua e revoga censura a sites

Jota Alves - abr 19, 2019

Em mensagem divulgada nesta quinta-feira, o ministro Celso de Mello chamou a censura de intolerável e disse que é uma perversão da ética do direito