Sindicato questiona democracia da administração de Dona Inês

No município de Dona Inês o prefeito Antonio Justino, vem desde 2009, quando foi eleito, pregando a importância da democracia como a melhor forma de governar o povo, para isso ele sempre usa como exemplo a administração anterior a sua, no entanto, fazendo um balanço sobre as duas administrações, não conseguimos perceber nenhuma diferença, a não ser a forma de tratamento que dada a população, na anterior observamos uma rigidez na forma de dizer não, ou não pode, na atual administração, observamos o tapinha nas costas, o depois me procure, vou pensar e depois comunico até que a parte interessada decida desistir do seu benefício (direito).

Podemos dar como exemplo a esta forma mesquinha e antidemocrática do atual prefeito de Dona Inês, a formação do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Dona Inês, uma instituição que n administração passada do Sr. Luiz José, deu seus primeiros passos, mas que não fora legalizada, mesmo assim conseguiu implantar no município o terço de férias para todos os funcionários públicos que começou a ser pago em 2007, depois de uma movimentação de um grupo de funcionários que depois fundou o sindicato.

No entanto, nesta época onde o atual prefeito fala de uma alta de democracia, os envolvidos nas reivindicações, não passaram a ser perseguidos, como esta acontecendo hoje em nosso município, onde as pessoas envolvidas no sindicato passaram a serem reprimidas de uma forma totalmente antidemocrática. Como se não bastasse a democracia em que vivemos, ainda proíbe o servidor público a descontar do seu salário a sua contribuição sindical, com o intuito de inibir a ação da própria instituição, ou seja, o sindicato dos servidores existe em nosso município, porém os funcionários mesmo autorizando descontar em folha sua contribuição, não esta sendo feito por determinação do democrata (autoritário, ditador) Antonio Justino o prefeito eleito e reeleito pela maioria de nossa população com um discurso totalmente voltado para a melhoria das maiorias, o qual pensava no bem estar comum de todos.

O que podemos perceber a cerca de tudo que fora exposto anteriormente, é a falta de estudo por parte do prefeito sobre a palavra DEMOCRACIA, esperamos que com estas considerações ele passa rever seus conceitos e melhorar sua prática aos termos empregados em seus discursos, creio que na sua especialização, onde ele estudou vários pensadores iluministas, ele apenas decorou as lições de Maquiavel ao ler O PRINCIPE.

Esperamos sinceramente que cheguemos um dia a uma sociedade mais democrática onde possamos manifestar o nosso contentamento, e sobretudo o descontentamento a cerca dos nossos governantes, e que estas impressões não sejam vistas como uma agressão moral e sim como uma crítica positiva sobre a maneira correta de um líder se comportar.

Fonte: Focando a Notícia