Tribunal do Trabalho transfere Varas de Mamanguape, Itabaiana, Picuí e Cajazeiras

A proposta de reestruturação da jurisdição foi apresentada pela Comissão de Revisão de Jurisdição das Varas do Trabalho da 13ª Região

maio 16, 2019
79 Visualizações

O Tribunal do Trabalho da Paraíba (13ª Região) aprovou, por unanimidade, a transferência de quatro Varas do Trabalho para os municípios de João Pessoa, Campina Grande e Santa Rita. A decisão atinge os municípios de Itabaiana, Mamanguape e Cajazeiras.

A sessão administrativa foi presidida pelo desembargador Wolney de Macedo Cordeiro. Manifestaram-se contrários à medida o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir Meireles, o deputado estadual Jeová Campos, advogados e lideranças do município, que pediram a manutenção da unidade, mas os pedidos não foram atendidos.

O que muda

Com a aprovação do Tribunal Pleno, as Varas do Trabalho de Itabaiana e Mamanguape serão transferidas para João Pessoa. As unidades passam a ser denominadas, respectivamente, de 12ª e 13ª Varas do Trabalho de João Pessoa, integrando a estrutura do Fórum Maximiano Figueiredo.

A Vara do Trabalho de Picuí foi transferida para a cidade de Santa Rita, passando a ser denominada de 2ª Vara do Trabalho de Santa Rita, integrando a estrutura do Fórum José Carlos Arcoverde Nóbrega.
Já a Vara do Trabalho de Cajazeiras foi transferida para a cidade de Campina Grande, passando a ser denominada de 7ª Vara do Trabalho, integrando a estrutura do Fórum Irineu Joffily.

O juiz Marcelo Carniato, presidente da Associação dos Magistrados da Paraíba (Amatra13), considerando a situação vivenciada pelo Tribunal do Trabalho, se pronunciou favorável à medida, ressaltando a existência de mecanismos e ferramentas que amenizam os impactos para a sociedade, entre eles posto avançado, audiências volantes e sistema de videoconferência.

Dificuldades alegadas pelo MPT

A proposta de reestruturação da jurisdição foi apresentada pela Comissão de Revisão de Jurisdição das Varas do Trabalho da 13ª Região (Comrejuris) e leva em consideração as dificuldades enfrentadas pela administração em temas ligados à questão orçamentária, financeira e força de trabalho.

“É de conhecimento de todos a redução do quadro de pessoal em razão do elevado número de aposentadorias nos últimos anos e das restrições impostas à recomposição do quadro de servidores. É importante também se ressaltar os impactos do novo regime fiscal instituído pela Emenda Constitucional n.º 95, que fixou como base para o teto de gastos, no âmbito da União, o orçamento de 2016, ocasião em que houve um corte de 90% nas dotações destinadas a investimentos e de 29,4% nas de custeio.

Isso motivou a edição do Ato Conjunto n.º 5/2019 do Conselho Superior da Justiça do Trabalho, que estabeleceu o valor de R$ 18.853.460,00 como limite para Outras Despesas Correntes e de Capital (ODCC) do Tribunal no exercício 2020, o que representa uma redução média de 30% no custeio”, explicou o presidente do TRT13, desembargador Wolney Cordeiro.

Para a transferência das Varas do Trabalho, o presidente apresentou outros dados relevantes e que repercutem diretamente no dimensionamento da jurisdição das Varas do Trabalho da 13ª Região, como a redução, em média, de 40% do número de casos novos após a Reforma Trabalhista e a implantação e consolidação do processo eletrônico em 100% dos casos novos, o que dispensa o comparecimento das partes na secretaria das unidades, exceto para a realização de audiências, já que até os alvarás estão sendo assinados eletronicamente e disponibilizados às partes nos próprios autos.

A Comrejuris propôs a transferência das Varas do Trabalho que tiveram baixa movimentação processual nos últimos anos: Itabaiana, Picuí, Mamanguape e Cajazeiras.
Todos os desembargadores se manifestaram durante a sessão administrativa, expondo que as transferências vão acontecer por estrita necessidade e baseadas em critérios técnicos. Os integrantes do Tribunal Pleno acompanharam o voto da Presidência.

Da Ascom

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Mãe joga filha de 4 anos do 5º andar de prédio e depois se atira
Policial
0 shares17 views
Policial
0 shares17 views

Mãe joga filha de 4 anos do 5º andar de prédio e depois se atira

Jota Alves - maio 24, 2019

A criança teve ferimentos leves por conta do impacto contra o para-brisa do carro na hora da queda, o quadro dela é estável

Operação Ultimato cumpre mandados de prisão e tira criminosos de circulação em Guarabira e Pilõezinhos
Policial
0 shares22 views
Policial
0 shares22 views

Operação Ultimato cumpre mandados de prisão e tira criminosos de circulação em Guarabira e Pilõezinhos

Jota Alves - maio 24, 2019

De acordo com o delegado regional da Polícia Civil, Hugo Lucena, a ação de repressão ao crime foi exitosa

Fortaleza vence o Botafogo-PB por 1 a 0 no primeiro jogo da decisão
Notícias
0 shares21 views
Notícias
0 shares21 views

Fortaleza vence o Botafogo-PB por 1 a 0 no primeiro jogo da decisão

Jota Alves - maio 24, 2019

Com o resultado negativo, o Botafogo-PB precisa reverter o placar em João Pessoa para levar a decisão para as penalidades ou vencer por uma diferença de dois gols