No rádio, Ricardo diz que Cunha usou a PB como palanque e exige pedido de desculpas

abril 14, 2015
719 Visualizações

Ricardo-Coutinho-entrevista2

A turbulenta visita do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), à Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), na última sexta-feira (10), voltou a ser motivo de comentário do governador Ricardo Coutinho (PSB), nesta segunda-feira (13). Durante a transmissão do programa Fala Governador, na Rádio Tabajara, o socialista disse que o deputado federal carioca usou a Paraíba como palanque eleitoral para incentivar o debate nacional entre o PT e o PMDB.
De acordo com Ricardo Coutinho, Eduardo Cunha já enfrentou protestos em vários Estados brasileiros, a exemplo de São Paulo, que tem um gestor do PSDB Geraldo Alckmin, e não fez acusações contra outros governadores, deputados estaduais ou autoridades.
“Quem ouve as suas declarações, percebe claramente que é como se ele tivesse vindo para cá para fazer isso. Se ele está passando em todos os cantos e tem protesto e ele não fez nada em lugar algum, por que fez aqui? Por que ele tentou nacionalizar o debate? Por que tentou colocar no Congresso Nacional a disputa dos dois partidos, PT e PMDB?”, disse o governador.
Ricardo Coutinho ainda disse esperar um pedido de desculpas oficial do presidente da Câmara dos Deputados. “Não acho que a Paraíba vai servir de palco para este tipo de comportamento, sem que haja uma reação. Nós não aceitamos isso. Acho que o deputado Eduardo Cunha deve um pedido de desculpas ao estado e ao povo da Paraíba”, disse.
Não teve omissão
Ainda de acordo com Ricardo Coutinho, nem em um período difícil de recessão como o de ditadura militar, a Polícia Militar foi autorizada a entrar na ALPB. Segundo ele, a vice-governadora, Lígia Feliciano (PDT), estava presente na sessão e teria tomado todas as providências para garantir a segurança do presidente da Câmara. “A vice-governadora estava lá, dizendo a ele, inclusive, que as coisas que foram lhe passadas não eram verdadeiras, não havia omissão de absolutamente ninguém”, disse.
Solidariedade
Por fim, o governador ainda se solidarizou com a deputada estadual Estela Bezerra (PSB), acusada por Eduardo Cunha de incitar o protesto da última sexta-feira. “Eu acho que a terceira autoridade na linha hierárquica da Presidência da República não pode vir a um Estado para atacar deputados e deputada. A minha solidariedade à deputada Estela, é inequívoca. Não existe nenhum contato da deputada comigo ou com quem quer que seja para evitar que a Polícia Militar entrasse na Assembleia. Foi um grande equívoco [de Eduardo Cunha] e eu prefiro achar isso, para não dizer coisas piores”, concluiu.

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Serra da Raiz: Noronha Monteiro vai ao TCE-PB e MPF apresentar denúncia contra Adailma
Política
0 shares31 views
Política
0 shares31 views

Serra da Raiz: Noronha Monteiro vai ao TCE-PB e MPF apresentar denúncia contra Adailma

Jota Alves - jun 20, 2019

De acordo com postagem feitas em redes sociais, as possíveis irregularidades são em processos licitatórios

“Não tenho apego ao cargo, se houver irregularidades, eu saio”, diz Moro na CCJ do Senado
Política
0 shares23 views
Política
0 shares23 views

“Não tenho apego ao cargo, se houver irregularidades, eu saio”, diz Moro na CCJ do Senado

Jota Alves - jun 20, 2019

Segundo o site The Intercept Brasil, as mensagens foram trocadas entre 2015 e 2018 e obtidas a partir da invasão de aparelhos dos procuradores por hackers

Prefeito que convocou comissionados para show da noiva é preso
Política
0 shares33 views
Política
0 shares33 views

Prefeito que convocou comissionados para show da noiva é preso

Jota Alves - jun 20, 2019

A Operação Harpalo começou em dezembro de 2018 e investiga o superfaturamento em contratos da prefeitura de Camaragibe

Leave a Comment