Que mundo é esse?

Na grande São Paulo, dois atiradores invadiram uma escola abriram fogo contra crianças e adolescentes, matando inocentes e depois cometeram suicídio.

março 15, 2019
88 Visualizações

No vídeo, fizemos uma reflexão sobre a semana que fecha com notícias violentas que chocaram. Começando pela revelação de abusos sexuais contra uma criança, praticados por colegas e funcionário de uma escola particular em João Pessoa. os agressores estão recolhidos, e polícia busca outras revelações e os pais cobram medidas para evitar novos casos.

Na grande São Paulo, dois atiradores invadiram uma escola abriram fogo contra crianças e adolescentes, matando inocentes e depois cometeram suicídio. O ato terrorista chocou o mundo.

Ainda sem acreditarmos no massacre de Suzano-SP, chega a notícia de que na Nova Zelândia, um maluco se armou com armas repetição, de grosso calibre, invadiu duas mesquitas e matou 49 pessoas, ferindo outras 48. Refletimos sobre esses fatos.

Assista ao vídeo

Comente esta matéria

Você também pode gostar

Barragem de Pitombeira, em Alagoa Grande, começa a sangrar
Notícias
0 shares26 views
Notícias
0 shares26 views

Barragem de Pitombeira, em Alagoa Grande, começa a sangrar

Jota Alves - jun 17, 2019

O manancial tem capacidade para armazena 2.955 mil metros cúbicos de água e está em sua carga máxima

Deputado federal do PSB, Gervásio quer instalação de CPI para investigar Sérgio Moro
Política
0 shares24 views
Política
0 shares24 views

Deputado federal do PSB, Gervásio quer instalação de CPI para investigar Sérgio Moro

Jota Alves - jun 17, 2019

Conforme Gervásio Maia, uma pasta tão importante como o Ministério da Justiça não pode ser ocupada por uma pessoa que não agiu com isenção

Barragem que abastece 6 municípios no Regional Brejo volta a sangrar
Notícias
0 shares48 views
Notícias
0 shares48 views

Barragem que abastece 6 municípios no Regional Brejo volta a sangrar

Jota Alves - jun 16, 2019

Enquanto já tem barragem sangrando, várias cidades do Regional do Brejo, segundo a Cagepa, estão em regime de racionamento e correm o risco de colapso