Santos supera pressão do Audax na Vila e é bicampeão paulista

poster-santos-normal-1462739245060_800x600

 

Contra a sensação do torneio, o Grêmio Osasco Audax, o time alvinegro suou neste domingo. Levou sufoco, foi dominado durante quase todos os mais de 90 minutos de jogo na Vila Belmiro e poderia ter saído de campo com a derrota. Mas Ricardo Oliveira estava em campo. E, com golaço que teve direito a bola entre as pernas de um zagueiro rival, o camisa 9 aproveitou praticamente a única chance da equipe alvinegra para decidir: 1 a 0.

O gol do bicampeonato veio aos 44 minutos do primeiro tempo, após o Audax ter feito 70% de posse de bola. Uma dominância poucas vezes vista por um clube visitante dentro do alçapão da Vila Belmiro, que recebeu o maior público da temporada: 16.018 pagantes.

Se antes o time treinado por Fernando Diniz havia vencido Palmeiras (2 a 1), São Paulo (4 a 1) e eliminado o Corinthians dentro da Arena em Itaquera (2 a 2 no tempo normal e vitória nos pênaltis), ficou agora no quase contra aquele que faltava dos quatro grandes paulistas.

E foi no “quase” mesmo. O Audax carimbou a trave de Vanderlei duas vezes, foi extremamente superior nos dois tempos de jogo e poderia ter vencido. Não deu.

Mas foi diante de ninguém menos que o maior campeão paulista deste século: o Santos conquistou seu sétimo título desde 2006, sendo o quinto nos últimos sete anos. Com direito a oito finais consecutivas desde 2009. O Estado de São Paulo é, mais do que nunca, alvinegro praiano.

Foi também o 22º troféu paulista do Santos ao longo da história, deixando o São Paulo para trás, com 21, e igualando o Palmeiras. O Corinthians ainda lidera, com 27 conquistas.

Agora, o time da Vila Belmiro prepara-se para a disputa do Campeonato Brasileiro, que começa na semana que vem. A estreia é sábado, contra o Atlético-MG, fora de casa.

O Audax, por sua vez, vai disputar a Série D, mas com desmanche: Tchê Tchê está indo para o Palmeiras, e Bruno Paulo e Camacho para o Corinthians. Outros também devem sair.