Anísio Maia rejeita apoio a Veneziano e diz que PMDB foi ingrato

outubro 30, 2012
207 Visualizações

Deputado Anísio Maia

O deputado estadual Anísio Maia (PT), coordenador da campanha de Luciano Cartaxo (PT) à prefeitura de João Pessoa, reagiu ontem à noite com restrição à defesa feita pelo ex-senador Wilson Santiago (PMDB) do nome do prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) para disputar o Governo da Paraíba em 2014 em nome da oposição. Em entrevista concedida ao Conexão Master, apresentado por Alex Filho, o parlamentar disse que o PT não concorda com o lançamento de Veneziano:

– Alto lá! O PT não apóia porque não aceita imposição. Nosso partido quer participar, desde o começo, da construção da candidatura de oposição – disse o deputado.

Com muitas críticas direcionadas ao prefeito de Campina Grande, Anísio aconselhou Veneziano e Vital Filho a aprenderem a ouvir os aliados:

– Eles foram para a arena sabendo que iriam morrer. A candidata que escolheram não era competitiva. Dissemos isso e dissemos que era preciso indicar uma candidata mais leve, como Daniella Ribeiro, mas não fomos ouvidos. É preciso que Veneziano e Vital aprendam a dividir o poder e confiar nos aliados. O PMDB de Campina Grande massacrou nossa militância e até utilizou o presidente municipal do PT como laranja!

Ao citar a necessidade de divisão de poder, Anísio sinalizou para uma possível aliança com o atual ministro Aguinaldo Ribeiro na disputa estadual de 2014:

– A oposição está sufocada com o monopólio do PMDB. Perdemos três eleições. Nossa aliança com o PP é para arejar o ambiente. Não queremos mais um candidato monolítico, mas um nome que una as oposições.

A insatisfação de Anísio, aliás, não ficou restrita ao prefeito Veneziano Vital do Rêgo. Ele também fez referência, neste sentido, ao ex-governador da Paraíba, José Maranhão (PMDB), que teria menosprezado Luciano Cartaxo, à época seu vice-governador, bem como ao PT:

– Luciano Cartaxo foi mal tratado na vice-governadoria. O PMDB não dava importância ao PT. Nós éramos menosprezados mesmo e um exemplo disso era o orçamento anual da vice-governadoria, de R$ 300 mil. Era irrisório. Eles pagaram o pato por não valorizar os aliados. José Maranhão cometeu uma grande ingratidão ao não apoiar o PT no segundo turno em João Pessoa. Apoiamos o PMDB em três oportunidades seguidas e quando concorremos, não pudemos ter o apoio deles. Foi uma ingratidão sem tamanho.

Fonte: Parlamentopb

Comente esta matéria

Você também pode gostar

“Célio tem demonstrado ser um defensor inconteste da região”, afirma Gilson Cândido
Política
0 shares41 views
Política
0 shares41 views

“Célio tem demonstrado ser um defensor inconteste da região”, afirma Gilson Cândido

Jota Alves - ago 21, 2017

Gilson repercutiu a pré-candidatura de Célio Alves a deputado estadual, chancelada pelo governador Ricardo Coutinho

Em campanha, caravana de Lula terá atos em João Pessoa e Campina Grande
Política
0 shares30 views
Política
0 shares30 views

Em campanha, caravana de Lula terá atos em João Pessoa e Campina Grande

Jota Alves - ago 21, 2017

Para o presidente do PT na Paraíba, Jackson Macedo, apesar do momento de turbulência política, a passagem de Lula é motivo de grande alegria

Temer acusa Veneziano de desmoralizá-lo e releva oposição de Ricardo
Política
0 shares40 views
Política
0 shares40 views

Temer acusa Veneziano de desmoralizá-lo e releva oposição de Ricardo

Jota Alves - ago 21, 2017

O presidente chamou a sua relação com o governador Ricardo Coutinho de 'republicana', e disse que o foco do seu trabalho é o povo da Paraíba

Leave a Comment

Your email address will not be published.