Confira na íntegra a Carta de João Azevêdo para direção nacional do PSB

O governador da Paraíba João Azevêdo, não tomou conhecimento da decisão da reunião do PSB em Brasília, onde uma suposta eleição teria criado uma Comissão Provisória do partido na Paraíba, para substituir  Edvaldo Rosas.

Na carta, João deixa claro que não aceita e nem acata qualquer mudança nos rumos do PSB da Paraíba e argumenta  todos os motivos banais que levaram a direção do PSB em optar pela intervenção no partido e destituição de Edvaldo Rosas da presidência.

O documento enumera todos os fatos que levaram à dissolução do diretório estadual do PSB na Paraíba e explica como foi gerada a crise interna. Além disso, o governador detalha as medidas tomadas após tomar posse no cargo, mantendo a continuação do projeto socialista.

João Azevêdo finaliza a carta destacando que o diretório que foi eleito democraticamente precisa terminar seu mandato de forma normal. O documento cita que não há interesse em participar de comissão provisória, mesmo que seja escolhida para que todos caibam. “Entendemos como medida anti-democrática destituir um Diretório legitimamente eleito e substituí-lo por uma Comissão Provisória, mesmo esta sendo paritária e sob a tese da busca da unidade, já que esta mesma unidade sempre tivemos no partido durante toda a nossa trajetória. Portanto, não há interesse na participação em Comissão Provisória”.

Leia a íntegra do documento

Novo-Documento-2019-09-09-12.33.19_20190909123456