Em fiscalização do CRECI, polícia prende falso corretor de imóveis

eduardo
Policiais da Delegacia de Defraudações da Capital prenderam na manhã desta quarta-feira (30), Eduardo de Lima Carvalho, de 24 anos, residente no bairro Jardim Oceania, pela prática do exercício ilegal da profissão de corretor de imóveis.
A prisão se deu a partir de auto de infração lavrado pela fiscalização do Conselho Regional de Corretores de Imóveis da Paraíba no último dia 11 de julho, por ele ter negociado um apartamento no bairro Jardim Planalto e se apropriado indevidamente de sinal no valor de R$ 2 mil reais, não possuir inscrição como pessoa física no Creci-PB e utilizar registro profissional de terceiro.
 
Eficiência na fiscalização
Apenas nos seis primeiros meses deste ano, durante a nova gestão do Creci-PB, já foram lavrados 2.638 autos, sendo 1.236 contra pessoas jurídicas, 55 autos de infração  pela falta de inscrição (exercicio ilegal da profissão ) e 1.462 autos  contra pessoas físicas, em sua maioria na Capital e cidades como Campina Grande, Guarabira, Sapé, Bananeiras, Cajazeiras e Patos.
Na cidade de Cajazeiras, por exemplo, foram lavrados 10 autos de infração por exercício ilegal da profissão, 8 por exercício irregular da profissão, através da atuação na Paraíba de corretores de outros estados sem a inscrição eventual ou secundária. Também foram lavrados 28 autos de infração pela facilitação dos exercícios ilegal e irregular da profissão.
Viaturas com GPS 
A fiscalização do Creci-PB, conta com seis viaturas equipadas com GPS, o que permite bloqueio do veículo em caso de assalto e o seu monitoramento, além de deslocamento da que estiver mais próxima ao local para averiguação de denúncias.
Em breve será implantado um novo sistema eletrônico de consulta, que extinguirá os antigos autos de papel. A exemplo da delegacia do Órgão na cidade de Campina Grande, a de Patos também será contemplada com uma viatura nos próximos dias. O Creci-PB figura atualmente na terceira posição no ranking nacional de produtividade, promovido  pela diretoria nacional de fiscalização do Cofeci. A posição decorre do trabalho desenvolvido pela equipe, que conta além de Hermano, com os fiscais Ubirajara Lira, Valéria Paiva e Sergio Pereira.