João Azevêdo anuncia reajuste linear de 5% para todos as categorias de servidores

O governador João Azevêdo anunciou, nesta segunda-feira (20), o reajuste linear de 5% para os servidores efetivos ativos, inativos e pensionistas das administrações direta e indireta do Estado. O valor fixado pela gestão estadual supera a alta da inflação e da arrecadação do ano passado e representa o maior aumento salarial em relação aos demais estados, uma vez que o Espírito Santo e o Paraná estabeleceram índices de 3,5% e 2%, respectivamente, e os demais não concederão ou ainda não definiram o percentual de reajuste.

Durante solenidade de posse dos mil concursados do magistério, o chefe do Executivo estadual também assegurou os reajustes do salário mínimo e do piso do magistério. As medidas econômicas irão gerar um impacto superior a R$ 340 milhões na folha de pessoal em 2020.

Em sua fala, o governador João Azevêdo ressaltou o esforço da gestão estadual para iniciar a recomposição do poder aquisitivo do funcionalismo e contemplar todos as categorias de servidores, incluindo os inativos. “Nós estamos tendo a preocupação com o cidadão que se aposenta, com o reformado da polícia, com os pensionistas que estão há mais de cinco anos sem receber reajuste. O percentual de 5% torna a Paraíba como o único estado do Brasil a dar um aumento linear nesse patamar, recuperando a capacidade da base salarial e demonstrando respeito a todos os que dedicaram sua vida inteira ao serviço público. Eu digo com toda tranquilidade que vamos fazer mais pelo funcionalismo este ano do que no ano passado, o que é fundamental para manter as estruturas funcionando”, frisou.

Piso do magistério – O reajuste será de 12,84%, beneficiando 26.656 professores, incluindo os que foram empossados hoje. As remunerações dos professores, que têm carga horária de 30 horas, variam de R$ 2.381,06 para o professor de Educação Básica, classe B (nível 1) a R$ 5.604,56. O impacto na folha de pessoal será de R$ 160 milhões este ano.

Salário mínimo – Em janeiro, conforme a legislação federal, será pago o valor de R$ 1.039,00. A partir de fevereiro, o salário passa a ser de R$ 1.045,00. O aumento salarial representa um impacto anual de R$ 40 milhões na folha de pagamento do estado.