Obras no ‘Canal 40’ foram feitas com dinheiro de propina, afirma delator

Ivan Burity detalhou em delação premiada como se deu a reforma do Canal 40, sede da campanha do PSB nas eleições de 2014 em diante. O ex-secretário do governo Ricardo Coutinho relatou que a construção do prédio localizado no bairro de Mangabeira, em João Pessoa, foi feita sem assinatura de contratos e alvarás para que acontecesse de forma velada.

Ivan disse que indicou Edgar Chaves, seu ex-chefe de gabinete na Sedurb (Secretaria de Desenvolvimento Urbano) da Prefeitura de João Pessoa, para Coriolano Coutinho e Livânia Farias para que ele cuidasse das obras do Canal 40.

“Edgar é um velho conhecido que trabalhou comigo na Sedurb como chefe de gabinete. E quando me foi dada a missão de construir o Canal 40 de forma velada, ou seja, não deveríamos tirar alvará e fazer contratos formais com empresas, ele, como era um pequeno construtor, foi a pessoa que eu citei (para Livânia e Coriolano). E ele conhecia ‘Cori’ (Coriolano). Então o nome dele foi levado a apreciação de ‘Cori’ e de Livânia e teve o aval das pessoas que fossem a ele”, disse Ivan Burity na delação premiada.

“Eu disse (a eles sobre Edgar): ‘essa é uma pessoa que eu posso confiar e que pode contratar profissionais sem levantar, sem evidenciar para que era. Ele contratou o engenheiro, que fez a planta com planilha de custos e etc. Essas planilhas foram submetidas a Ricardo e a Livânia”, completou Ivan Burity.

Questionado se a obra foi patrocinada por dinheiro das empresas que teriam pago propina à gestão de Ricardo Coutinho, Ivan Burity disse: “Com certeza. Toda advinda de recursos escusos.”

A colaboração de Ivan Burity faz parte das investigações da Operação Calvário, que investiga uma suposta organização criminosa que teria desviado recursos públicos da saúde e educação.

Ivan foi preso em outubro do ano passado na quinta fase da Operação Calvário coordenada pelo Gaeco. Segundo o Gaeco ele facilitava a contratação das empresas, mediante contratos fraudulentos e consequente recebimento de propinas.

Do ClickPB