Sobre a falta de palavra de Marcus Diôgo e mais

Vice-prefeito de Guarabira e prefeito em exercício já há quase seis meses e devendo completar os sete, Marcus Diôgo (PSDB) faltou com a palavra. Quando assumiu o comando da gestão, interinamente, no final de maio próximo passado, Diôgo disse que só inauguraria obras na cidade quando o titular do mandato, Zenóbio Toscano (PSDB), voltasse às atividades administrativas.

Com as sucessivas prorrogações de licença, vendo que teria como cumprir o que havia prometido publicamente, em entrevista de rádio, Marcus resolveu entregar algumas obras iniciadas ainda antes do problema de saúde de Toscano (AVCI).

Se aproximando do aniversário de emancipação política de Guarabira, a gestão anunciou algumas inaugurações. Já nesta terça-feira (19), poucos moradores e alguns auxiliares se aglomeraram no bairro Alto da Boa Vista para prestigiar a entrega de pavimentação de três ruas.

No discurso, em vez de enaltecer a importância da obra para moradores que conviviam com a precariedade da infraestrutura, o gestor perdeu tempo para atacar seus detratores, atacou a oposição, falou o que não deveria, no momento que não deveria.

Embora tente imprimir estilo parecido com o de Toscano, o atual gestor não consegue dá ritmo que a administração municipal requer no cotidiano. São providências triviais que vão ficando pelo meio do caminho e as pendências se acumulam à espera de que um dia Zenóbio retorne para pôr ordem na casa.

Nesse aniversário de 132 anos de emancipação, que será celebrado no próximo dia 26, não há nada de substancial que possa ser entregue para marcar a passagem de Marcus Diôgo na condição de prefeito. Se Zenóbio voltar nos primeiros dias de 2020 já pode-se avaliar que foi melancólica a passagem de Marcus.

Não é que o mandatário interino não deva inaugurar as possíveis obras construídas, acho até que é dever dele estando no comando do leme. Mas deveria ter sido cauteloso ao emitir uma declaração que soava “fidelidade canina” ao prometer que não inauguraria obra com a ausência de Toscano.

Já a secretária e primeira-dama titular, Léa Toscano, fez o de sempre. Agradeceu ao carinho do povo por sua família, disse orientar que tratem bem ao povo, lembrou que desde 1983 entrega enxovais às gestantes e atualizou sobre a saúde do marido. Léa revelou que Zenóbio está se recuperando bem, “mas é preciso preservar Zenóbio. Ele caminhou com netos na areia da praia no fim de semana, tomou banho de praia e está muito bem”, garantiu.

Lígia no Governo

No comando da gestão desde o fim de semana passado, a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) passa o bastão para o presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo, no final da tarde desta quarta-feira (20), devido a agenda que deve cumprir em Brasília, em evento do PDT.

Neide emenda LOA 2020

Em Guarabira, a Lei Orçamentária Anual – LOA – de 2020 está estimada em R$ 147,6 milhões. A matéria recebeu 6 emendas, todas propostas pela vereadora Neide de Teotônio, que também foram aprovadas.

João na Europa

Nesta quarta-feira (20, em Roma, junto com os demais governadores do Nordeste, João Azevêdo apresentou o potencial econômico e as oportunidades de negócios da Paraíba a empresários e industriais italianos, em evento realizado pela Confindustria Nacional da Itália.

Rei morto, rei posto – I

O ex-governador Ricardo Coutinho completou 59 anos na última segunda-feira, dia 18. Diferentemente de quando estava com a caneta na mão, a repercussão da Primavera do ‘Mago’ foi muito pouca. Nas redes sociais alguns amigos deixaram mensagens de parabéns. Em tempos outros, os jornais, revistas, portais de notícias, redes sociais, canais de TV estariam inundados de mensagens e homenagens ao mandatário.

Rei morto, rei posto – II

Contou-me engenheiro amigo, que participava da inauguração de um sistema de abastecimento, em Patos, no ano de 1975, quando testemunhou um diálogo entre o ex-governador Ernâni Sátiro e seu sucessor, Ivan Bichara, ambos da Arena. Sem despertar a atenção das pessoas durante a solenidade, Ernâni vociferou ao governante do momento: “Amigo velho, aproveite enquanto você é governador, depois você estará na condição que eu estou”. Bichara deu um sorriso maroto e seguiu o protocolo do evento.