Saidinha de banco: viúva de ex-vereador de Guarabira é vítima de golpe e tem R$ 5,6 mil levados

Mais uma vez golpistas aplicam agem a aplicam o golpe saidinha de banco na cidade de Guarabira. Nesta quinta-feira (23), a vítima foi a senhora aposentada Luzia Guimarães, viúva do ex-vereador guarabirense João da Cobal. Em entrevista ao repórter Rodrigo Sousa, da Rádio Cultura FM de Guarabira, ela contou detalhes de como tudo aconteceu, desde a abordagem até o desfecho.

De acordo com Luzia, ela foi até o caixa eletrônico do banco Santander, localizado próximo à Secretaria de Saúde de Guarabira, tentou fazer o saque, mas não havia dinheiro no caixa. Ao sair caminhado foi abordada por um idoso, que pediu informação sobre uma veterinária por nome de Vera, que supostamente mora no bairro Novo, e a vítima disse não conhecer.

O idoso (o golpista) passou a conversar com Luzia contando que precisava vacinar seu gado e que iria receber R$ 20 mil pela venda de animais bovinos que teria supostamente vendido. No memento se aproximou um segundo elemento, que entrou na trama, se ofereceu para ajudar o senhor e disse que ele havia ganhado na loteria e sugeriu que ele fosse até a Caixa Econômica Federal.

dona Luzia Guimarães foi enganada pelos golpista

O golpista (idoso) pediu que Luzia o ajudasse e fosse com ele até a agência da Caixa e ela prontamente se dispôs a acompanhá-lo. O golpista ofereceu o valor de R$ 10 mil pela ajuda, a vítima, que entrou no carro dos golpistas, disse que não aceitaria a quantia, mas que iria ajudá-lo.

Luzia foi convencida a ir até o caixa eletrônico e lá sacou R$ 5,6 mil e colocou na bolsa. De volta ao carro, o golpista trocou a bolsa e levou todo o dinheiro pertencente à senhora. Na bolsa deixada pelos golpistas havia apenas notas promissórias e papel.

A polícia foi acionada, mas não conseguiu localizar os marginais que voltaram a atacar. A polícia orienta que pessoas, sobretudo idosas, não aceitem ajuda de terceiros e que qualquer movimentação estranha chamem a polícia. Orientam ainda que idosos possam ir a agência bancária acompanhada de alguém da família.